Quatro passos para uma obra barata

Ano novo, bora fazer obra! Muita gente já começa o ano pensando em reservar o mês de janeiro para fazer reformas na casa, no ap, no escritório! É o mês de férias das crianças, do 13º na conta, mês de começar algo novo. Pensando nisso, juntei minhas dicas de como fazer uma obra barata e das piores ciladas que você pode evitar na hora  do quebra-quebra.

Contrate um profissional

 

arquiteto

Infelizmente no Brasil, não é costume se contratar arquitetos e engenheiros para fazer projetos e gerir obra. Segundo a pesquisa, realizada pelo CAU-BR, 54% da população economicamente ativa já construiu ou reformou imóvel residencial ou comercial. Desse grupo, 85,40% fizeram o serviço por conta própria ou com pedreiros e mestres de obras, amigos e parentes. Apenas 14,60% contratou arquitetos ou engenheiros.

As pessoas tem a falsa impressão de que arquitetos e engenheiros são caros e que elas mesmas podem se virar no projeto e na gestão da obra, e isso não é verdade! O preço da contratação de um profissional é de apenas 10% o valor da obra!! Uma pechincha em se tratando de todos os benefícios. As consequências são as piores possíveis: gasta-se mais por falta de planejamento, ambientes tendem a ficar claustrofóbicos com mau uso de materiais e mau dimensionamento do layout, a obra dura mais porque não houve gestão e acompanhamento adequado.

Já vi desastres horríveis nesse aspecto durante a faculdade e também na minha vida de arquiteta. Inclusive já fui contratada várias vezes para consertar esses erros de alguns proprietários, só que, as vezes, o erro é tão catastrófico que não tem jeito, tem que demolir tudo mesmo e gasta-se 5x mais. É o tal barato que sai caro.

O Fantástico inclusive fez uma série sobre isso ano passado chamada “Não faça você mesmo“, inspirada no programa da BBC “How not to DIY”, vale muito a pena assistir! É de chorar de rir com os desastres!

Fuja de orçamentos baratos demais

 

promoção

Desconfie de preços baratos demais!! Seja de material de construção, seja de mão-de-obra, pode crer que é cilada na certa. Já tive vários casos de clientes que se arrependeram de não terem contratado o serviço que indiquei porque acharam caro e terem se decepcionado bastante porque o serviço escolhido por eles fez tudo super malfeito e mal-acabado e eles precisaram contratar outra pessoa depois para ajeitar! Resultado: gastou três vezes mais do que pretendia e acabou ultrapassando até o orçamento mais caro pelos reparos necessitados.

Claro que existem promoções maravilhosas, ponta de estoque, queima total de fim-de-ano em várias lojas… mas se ligue! Veja direitinho como é essa promoção, se não tem produto estragado, com falhas, quebrado, com metragem quadrada abaixo da quantidade que você precisa, com defeito de fábrica, diferença de cor. Tem coisas baratas e boas sim, mas precisam de uma super análise de todos os pormenores para ver se vale a pena mesmo pegar essa promoção.

Não se apegue a tendências

 

tendência

As tendências são ótimas para nos inspirar, nos mostrar os caminhos que os fabricantes estão investindo, nos deixar por dentro do que está acontecendo no mundo da arquitetura, do design, das reformas. Mas elas não devem ser seguidas à risca nunca! Primeiro, você não deveria fazer algo na sua casa só porque está na moda e todo mundo está fazendo, se você nem ao mesmo se identifica! Segundo, tudo que é tendência/lançamento tende a custar um pouco mais do que não-lançamentos.

Não quer dizer que você deve optar pelos produtos que foram lançados em coleções passadas, mas sim, ter o bom senso de equilibrar o que você vai comprar sem se prender a novidades. Em arquitetura, as tendências demoram bastante para serem substituídas (ao contrário da moda) então você pode sim investir em artigos que irão sair de linha sem se preocupar em ficar datado.

Não faça nada sem contrato

 

contrato

Os maiores gastos de dinheiro que vejo nas obras dos cliente e amigos por aí é comprarem produtos ou fecharem serviços no boca-a-boca e sem contrato. Claro que vai aparecer gente cobrando bem menos porque justamente não fazem contrato, mas podem acreditar…é cilada. Em se tratando de obra, pode ter certeza que haverá atraso de material, de finalização de prazos de serviços, de falha na aplicação de algo… você só vai ficar resguardado, ter seus direitos garantidos ou até mesmo seu dinheiro de volta, se todos esses percalços estiverem escritos no contrato.

O piso veio quebrado? Você deve ter direito a algum benefício, afinal a obra estará lá parada esperando por ele e se houve problema na fábrica você precisa de um respaldo! A empresa de elétrica atrasou o serviço? Você precisa ter isso escrito no contrato para que ganhe algum benefício, seja desconto, seja um serviço a mais!

É claro que acontecerão problemas, ainda mais se tratando de obra, onde diversos profissionais e produtos tem que trabalhar juntos num prazo apertado, mas você não pode permitir que o que foi combinado extrapole demais e acabe com os seus nervos e com o seu prazo! Se está tudo escrito bonitinho no contrato, ambas as partes ficam resguardadas, e o contratado trabalha ainda melhor.

Outros posts sobre o assunto que já postei no blog: aqui e aqui!